Está aqui

O que sabe sobre a história do Poder Local em Cascais?

Em ano de renovação do poder autárquico e com a instalação marcada para dia 21, às 17h00, no Palácio da Cidadela de Cascais, há símbolos do Poder Local em Cascais que importa ter presentes. É o caso da bandeira oficial do município. Sabe quando foi implementada? E qual o significado dos símbolos utilizados? Descubra mais sobre a história local visitando o Museu da Vila.
Com uma história rica e profusamente estudada, de que são reflexo várias edições publicadas ao longo dos anos e disponíveis na Livraria Municipal a funcionar na Casa Sommer - Arquivo Histórico Municipal e online, nas Bibliotecas Municipais de Cascais e S. Domingos de Rana e em várias livrarias, o concelho prepara-se dia 21 para uma nova etapa do Poder Local. 
 
Para compreender bem o presente e melhor preparar o futuro, importa conhecer bem o passado. Assim, trazemos aqui alguns pormenores e curiosidades sobre a história local na expectativa de despertar a curiosidade para um melhor conhecimento por parte dos cidadãos.
 
Brasão de Cascais
Constituído pela portaria 7839, de 15 de junho de 1934, o Brasão de Cascais resulta do trabalho do arqueólogo Affonso Dornellas, aprovado por unanimidade em sessão da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Cascais, realizada a 20 de abril do mesmo ano.
A criação do brasão remonta, contudo, a 1930, por disposição do Ministério do Interior (14 de abril de 1930). 
Ao longo de quatro anos foram desenvolvidos vários esboços que não foram aprovados.
O desenho do selo foi também remetido à Câmara Municipal de Cascais por Affonso Dornellas em carta de 27 de abril de 1934. Enquanto na bandeira está inscrito “Vila de Cascais”, no selo aparece a designação “Câmara Municipal de Cascais”.
 
Qual o significado do Brasão de Cascais?
Castelo – Praça-forte defendida por várias fortificações e respetivos feitos de valor heróico. Representa, sobretudo a primeira sentinela de defesa da entrada do Tejo e, portanto, Lisboa
Vermelho do Castelo – Vitória, ardis, guerra, mas também vida, alegria, sangue e força.
Prata do campo de armas – Humildade e riqueza, qualidades naturais da região.
Negro nos rochedos – Terra, mas também firmeza e honestidade.
Ondado de prata e verde – Mar. Na heráldica o verde corresponde à água e significa esperança e fé.
Rede – Vida ativa e sustento dos cascalenses. A cor remete para fortuna, poder e liberdade (A. Dornellas)
Vermelho de fundo da bandeira – Remete para a cor do castelo
Coroa mural em prata – Símbolo usual para vilas
 
O Estandarte
Confecionado em seda sob condições definidas também em 1934, o Estandarte Municipal, com o Brasão Municipal, está exposto no Museu da Vila, localizado no piso térreo dos Paços do Concelho. 
Em perfeito estado de conservação, o Estandarte encontra-se numa vitrina estilo renascentista que, até à inauguração do Museu da Vila (20 de julho de 2015) esteve exposta ao público na escadaria do edifício.
 
Cruz de Cristo
Em 4 de junho de 1964, por ocasião do VI Centenário da Vila de Cascais, o Estandarte Municipal foi agraciado com a Ordem Militar de Cristo pelo Presidente da República Contra-Almirante Américo Thomaz.
A condecoração encontra-se aposta no Estandarte e pode ser apreciada também no Museu da Vila.
 
Fonte: “A Casa dos Azulejos de Cascais – De Palácio dos Condes da Guarda a Paços do Concelho”
 

Cascais Digital

banner_cascais_0banner_cascaisambiente_0banner_cascaisparticipa_0banner_cascaisjovem_0banner_cascalitosbanner_lojacascaisbanner_bairromuseus_0banner_geocascaisbanner_agendacascaisbanner_fixcascais