CONTACTOS
Fale connosco
800 203 186
Em rede

Está aqui

Carlos Carreiras em diálogo direto com os munícipes

Carlos Carreiras em diálogo direto com os munícipes de Cascais

Durante uma hora como é hábito, todas as sextas-feiras, desde 3 de abril de 2020, Carlos Carreiras esteve em diálogo direto com os munícipes de Cascais.

Durante a hora de emissão em direto foram registadas 4.400 visualizações, correspondendo a 8.221 pessoas alcançadas, com o registo de 1.995 interações.

A comunicação do presidente da Câmara, antes de responder às questões colocados pelos munícipes, centrou-se em várias questões que marcaram a atualidade das situações vividas em Cascais, passando em revista os dados sobre o combate à pandemia da SarsCov2.

Carlos Carreiras abordou, em primeiro lugar, a questão das cheias na baixa de Cascais, do passado fim de semana.

“No espaço de 12 meses, tivemos de lidar com uma pandemia, com um grande incêndio urbano e com uma cheia. A comunidade de Cascais é resiliente. É forte e solidária perante a adversidade. Foi isso que nos permitiu ultrapassar as cheias de sábado e o incêndio das varandas de Cascais sem vítimas a lamentar”, salientou o autarca.

Sobre as inundações motivadas pela passagem da tempestade Karim, Carlos Carreiras recordou o trabalho que o executivo tem realizado há 4 anos na limpeza, requalificação e renaturalização das ribeiras do concelho, que foram determinantes para que os efeitos das cheias não tivessem assumido proporções mais dramáticas.

A baixa de Cascais é uma zona altamente vulnerável por se encontrar abaixo da quota da ribeira das Vinhas, que passa pelo interior da malha urbana, entre o Mercado da Vila e o mar. Para exemplificar o grau de precipitação naquela zona, num curto espaço de tempo, Carlos Carreiras sublinhou que “choveu na bacia hidrográfica da Ribeira das Vinhas o volume de água equivalente a 763 piscinas olímpicas”.

No entanto, a pronta intervenção dos bombeiros, das forças de segurança e de operacionais das equipas da Cascais Ambiente e da Cascais Próxima evitou o pior. Além disso, Carreiras esclareceu que os investimentos feitos na requalificação, recuperação e renaturalização da Ribeira das Vinhas foram determinantes. Foi um investimento de vários milhões de euros, ao longo dos últimos quatro anos e consistiu em medidas como a remoção de resíduos no leito e nas margens da ribeira, na aragem das terras de aluvião.

“A Ribeira das Vinhas é hoje um espaço mais qualificado e os cidadãos que dela usufruem são seus guardiões” sublinhou.

Houve ainda oportunidade para esclarecer questões como o despacho que criou o Fundo de Apoio aos comerciantes, que tiveram prejuízos resultantes da inundação, a reabertura do paredão e dos espaços públicos, a entrega de 20 mil kits que integram um oxímetro, para que os cidadãos infetados com Covid-19, mas que não necessitem de internamento hospitalar possa monitorizar o seu estado de saúde, evitando a saturação das unidades hospitalares.

Carreiras abordou também questões de fundo dos pilares estratégicos da política municipal, salientando que esta semana foram concretizadas as assinadas as escrituras das primeiras vendas de casas, do Bairro Irene a um preço médio de 40 mil euros por habitação. “Cumprimos o que sempre dissemos que íamos fazer: requalificar o bairro!”

Nesta intervenção Carlos carreiras abordou o processo de vacinação em Cascais relembrando que Não é a Câmara que define os grupos de risco. Não é a Câmara que tem os calendários de vacinação. Não é a Câmara que faz as listas de quem vai ser vacinado. Por isso apelou “à serenidade e à calma de todos”.

Houve ainda ocasião dar outras notícias de esperança como queda acentuada de incidência de casos de cidadãos infetados, no concelho. “Não estamos longe do risco moderado, o que nos deixaria numa situação muito mais favorável no contexto do desconfinamento que estará a ser preparado”. Nesse sentido Carlos Carreiras apelou à responsabilidade individual, com a manutenção das medidas de segurança, o uso das máscaras, a higienização, o evitar aglomerações e a manutenção de distanciamento físico, como sendo a forma mais eficaz para que se possa suplantar esta situação, em segurança.

Cascais Digital

linha_146x65_1360_146x65mobi_146x65_0loja_146x65geo_146x65ambiente_146x65-01_2cultura_146x65_0jovem_146x65_0participa_146x65_0fix_146x65