CONTACTOS
Fale connosco
800 203 186
Em rede

Está aqui

Complexo Social do CRID já pode receber utentes

Município de Cascais investe 4 milhões de euros em resposta social para os cidadãos com deficiência.
A Primeira fase do Complexo Social do Centro de Reabilitação e Integração de Deficientes (CRID) recebeu hoje luz verde da Segurança Social para receber utentes, com a assinatura do Acordo de Colaboração para o funcionamento do lar residencial e do centro de atividades ocupacionais. 
 
Inaugurados há um ano, estes dois equipamentos encontram-se, desde então, em condições de pleno funcionamento. Mas, só agora foram desbloqueados os constrangimentos burocráticos que os mantiveram fechados.
 
“A partir de hoje podemos dar uma resposta essencial para o nosso concelho, quer aos cidadãos com deficiência, quer às famílias cuidadoras que viviam numa angústia sem saber quando é que podiam ter este apoio quer do lar residencial, quer do centro de atividades ocupacionais”, referiu Frederico Pinho de Almeida, vereador da Câmara Municipal de Cascais.
 
O município de Cascais investiu 2.160.000,0€ nas primeiras duas fases do Complexo Social do CRID, sendo que as obras da segunda fase já estão bastante adiantadas, prevendo-se a conclusão para início de 2021. As obras da terceira fase também já se iniciaram.
 
 “Hoje é um dia muito feliz, o culminar de muitos anos de trabalho”, confessou Maria de Lurdes Rocha Vieira, presidente da direção do CRID que nos garantiu que a partir de hoje poderá sossegar dezenas de famílias cujo maior receio era saber quem cuidaria dos filhos e netos deficientes quando já não o pudessem fazer. 
 
Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais pediu um compromisso por parte da Administração Central para acelerar o processo dos restantes acordos de cooperação, necessários para o funcionamento das restantes fases dos equipamentos em construção. 
 
“Tivemos que percorrer muitos atalhos para chegarmos hoje aqui, mas estou convicto que o caminho será mais facilitado para o que se segue já que estas ofertas sociais são muito escassas e não é só no distrito de Lisboa, como em todo o país”, asseverou o autarca. 
 
Integrando o acordo de Cooperação hoje assinado, o Lar Residencial tem capacidade para acolher 48 utentes com deficiência.  Este lar vai proporcionar serviços permanentes e adequados às necessidades biopsicossociais dos residentes, contribuindo para o seu bem-estar e melhoria da sua qualidade de vida. O objetivo passa também por facilitar a integração da pessoa com deficiência em outras estruturas mais adequadas ao seu projeto de vida, assim como promover a sua interação com a família e a comunidade. 
 
Já o Centro de Atividades Ocupacionais, que também faz parte desta primeira fase do complexo social, tem capacidade para 30 utentes. O CAO visa, sobretudo, estimular e desenvolver as suas capacidades, para uma integração social e profissional das pessoas com deficiência, promovendo a interação com a família e a comunidade e encaminhando o utente para programas adequados de integração socioprofissional. 
 
“Há de facto muita necessidade desta resposta social para as pessoas com deficiência que é evidenciado pelas longas listas de espera”, afirmou Fátima Matos, Diretora Adjunta da Segurança Social do Distrito de Lisboa que sublinhou o exemplo do Município de Cascais na forma como procura dar essas respostas e na necessidade de uma colaboração entre entidades para buscar soluções desta natureza. 
 
A segunda fase do projeto em execução, contempla um novo edifício com funções multigeracionais com um largo conjunto de valências, onde se inclui a construção de uma Creche + Pré-Escolar (92 utentes), um Lar de Idosos (18 utentes), um Centro de Dia (40 utentes) e um Serviço de Apoio Domiciliário (60 utentes). Esta obra inclui ainda a construção de duas lojas sociais e de um estacionamento coberto com 30 lugares e permitirá ao CRID ajudar e beneficiar mais 210 pessoas.
 
Também já concluído e equipado, pronto a funcionar, está o Complexo social da CERCICA, em Rana. Aguarda, igualmente, a assinatura do acordo de cooperação com a Administração Central, para poder receber os utentes. 
 
O novo complexo da Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de Cascais dispõe de camas para 53 utentes com deficiência e capacidade de atendimento externo para um número de jovens e adultos da mesma ordem. A Câmara Municipal de Cascais investiu nesta obra social cerca de 2,5 milhões de euros para ajudar a CERCICA a proporcionar a mais famílias uma resposta adequada às necessidades de alojamento e expectativas de futuro para os seus familiares com deficiência. 
 
No total o investimento do município de Cascais ascende a 4.000.000,0€ numa área social que carece de respostas urgentes. 
 
 

Cascais Digital

360_146x65mobi_146x65loja_146x65geo_146x65ambiente_146x65-01cultura_146x65jovem_146x65participa_146x65fix_146x65my_146x65