CONTACTOS
Fale connosco
800 203 186
Em rede

Está aqui

Academia de Cidadania Inteligente | Oradores

 
Andisile Best
Andisile Best lidera as reformas sul-africanas no sentido da melhoria contínua da transparência e da participação no Gabinete do Orçamento do Tesouro Nacional. Tem mais de 17 anos de experiência em gestão estratégica, monitorização da prestação de serviços e gestão do envolvimento das partes interessadas em ambientes em constante mutação e de finanças públicas. Os seus sete anos de experiência de gestão sénior nas tesourarias subnacionais e nacionais centraram-se na coordenação do processo orçamental, desenvolvimento de políticas, gestão de sistemas orçamentais e gestão de dados, bem como na liderança da transparência e das reformas participativas dos cidadãos. Contribuiu para o estabelecimento e gestão de duas entidades universitárias onde geriu as relações com as partes interessadas, obteve financiamento para os estudantes e geriu as operações. Trabalhando em conjunto com a imaliyethu.org.za, uma coligação da sociedade civil, fez parte de um portal de transparência fiscal da África do Sul recentemente criado, vulekamali.gov.za, que publica informação orçamental facilmente acessível para os utilizadores, a fim de aprofundar a transparência e alargar a participação pública no processo orçamental.
 
Adrià Duarte
Politólogo especializado em comunicação, diplomacia entre cidades, com experiência em investigação em campanhas eleitorais, assessoria política, estratégia política e democracia participativa. Atualmente, é gerente da secretaria técnica do Observatório Internacional da Democracia Participativa (OIDP), com sede em Barcelona. Lida com a coordenação de atividades do observatório, projetos de investigação, gestão de conferências internacionais, comunicação e outros aspetos administrativos.
 
Andrés Falck
Geógrafo e consultor em processos participativos e desenvolvimento local. É presidente da Coglobal, uma organização espanhola sem fins lucrativos que se concentra no estabelecimento de relações inclusivas e transparentes entre comunidades locais e instituições democráticas. Entre outros programas, é responsável pela Ágora Infantil, uma iniciativa de democracia participativa infantil. Falck é co-autor de estudos sobre a participação de crianças e jovens para a Universidade Nacional Autónoma da Nicarágua - Manágua e o Observatório Internacional sobre Democracia Participativa.
 
Anna Sukhova
Anna Sukhova é especialista em desenvolvimento comunitário e proteção social no Banco Mundial. Durante os últimos 8 anos, trabalhou na promoção do orçamento participativo na Rússia e no apoio aos governos regionais e municipais na elaboração e implementação do Programa de Apoio às Iniciativas Locais (LISP). Atualmente, coordena atividades a nível nacional e regional destinadas a desenvolver práticas de desenvolvimento participativo e comunitário na Rússia.
 
António Branco
António Branco é licenciado em Línguas e Literaturas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (1989) e doutorado em Literatura Portuguesa (Medieval) pela Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve (1999), onde obteve o título de agregado em Artes, em 2012. Depois de ter sido professor de português e francês do 3º ciclo e ensino secundário em várias escolas públicas, exerceu a docência na Universidade de Macau (1990-1991) e na Universidade do Algarve (desde 1991). Foi ator profissional entre 1979 e 1983, no Teatro do Mundo, grupo de teatro independente de Lisboa. Em 2006, fundou o grupo de teatro A Peste – Associação de Pesquisa Teatral, no qual tem mantido uma atividade regular enquanto ator, na encenação e na direção de atores. Na Universidade do Algarve foi Presidente do Conselho Diretivo (2000-2003) e diretor (2009-2013) da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais. Foi, ainda, membro do Conselho Geral (2009-2013). Mais recentemente, exerceu o cargo de Reitor (2013-2017). No ano de 2017, integrou o painel de avaliação da FCT para o concurso de Bolsas de Doutoramento, na área das Ciências da Educação.
 
Arlindo Oliveira
Arlindo Oliveira é professor do Departamento de Informática e Engenharia do Instituto Superior Técnico (IST). Atualmente é presidente do IST e membro da sua direção executiva. Obteve o doutoramento na UC Berkeley em 1994, sob uma bolsa Fulbright, após um bacharelado e um mestrado do IST, em 1986 e 1989, respetivamente. As suas principais áreas de interesse são algoritmos e complexidade, aprendizagem-máquina, bioinformática e design de Circuitos Digitais. Trabalhou no CERN, Cadence Laboratories e INESC-ID. É membro da Academia Portuguesa de Engenharia e membro sénior do IEEE.
 
Daniel Innerarity
Daniel Innerarity é catedrático de filosofia política e social, investigador Ikerbasque na Unversidade do País Basco e diretor do Instituto de Gobernanza Democrática. Entre as suas últimas obras destacam-se "A Humanidade Ameaçada" (com Javier Solana), "O Futuro e os Seus Inimigos", "O Novo Espaço Público" e "A Sociedade Invisível". É colaborador habitual do El País, com artigos de opinião. A revista francesa Le Nouvel Observateur incluiu-o numa lista dos 25 grandes pensadores do mundo.
 
Ezequiel del Curral
Estudante e educador da Scholas Occurrentes, aprendeu a conhecer-se sem se conhecer e conhecer sem saber. Então, talvez, para se apresentar, prefira usar as palavras do grande Fernando Pessoa: “Não sou nada. Nunca serei nada. Não posso querer ser nada.  À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.”
 
Giovanni Allegretti
Arquiteto, planificador e investigador sénior no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, é membro visitante da Witwatersrand University em Joanesburgo e membro do Instituto para a Democracia e Democratização da Comunicação da Universidade de Minas Gerais, Brasil. Giovanni Allegretti é Co-presidente da Autoridade Independente para a Promoção da Participação na Toscana (Itália) no mandato 2014-2019.
 
Gustavo Cardoso
Gustavo Cardoso é investigador associado no CIES, ISCTE-IUL e professor de tecnologia e sociedade do ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa. Trabalha, também, com o Departamento de Comunicações e Estudos de Performance da Universidade de Milão e com a Universidade Católica Portuguesa. A sua cooperação internacional em redes de investigação europeias levou-o a trabalhar com o IN3 (Internet Interdisciplinary Institute) em Barcelona, o WIP (World Internet Project) no USC Annenberg, o COST A20 "O Impacto da Internet nos Meios de Comunicação" e o COST 298 "Broadband Society". Entre 1996 e 2006 foi consultor em políticas de telecomunicação e sociedade de informação para a Presidência da República Portuguesa e em 2008 foi escolhido pelo Fórum Económico Mundial como Jovem Líder Global. Ele é co-editor, com Manuel Castells, do livro Network Society: from Knowledge to Policy e Editor Associado nos jornais IJOC na USC Annenberg e IC & S na Routledge. É membro dos painéis de avaliação do European Research Council (ERC) e do ESF (European Science Foundation).
 
Ivan Shulga
Especialista sénior no Escritório do Banco Mundial na Rússia, é, desde 2016, líder de projeto Strengthening Participatory (Initiative) Budgeting in Russia, uma iniciativa conjunta do Ministério das Finanças da Rússia e do Banco Mundial. Desde 2007 liderou dezenas de atividades regionais do Banco Mundial destinadas a desenvolver práticas participativas e apoiar as comunidades locais. Desenhou o projeto para o Programa de Apoio às Iniciativas Locais da Rússia (LISP), que atualmente está implementado em mais de 20 regiões do país. Doutorado em economia, é investigador sénior na Universidade Estadual Lomonosov de Moscow.
 
Jaehak Cho
Como diretor executivo para a Governação Participativa é responsável pelo orçamento participativo e governação no Distrito de Eunpyeong, Seul.  Foi Presidente do Conselho para o Orçamento Participativo dos Moradores do Distrito de Eunpyeong, representando os moradores e desempenhando um papel fundamental no desenvolvimento do programa de orçamento participativo para a democracia direta e a democracia deliberativa.  Ativista civil durante 30 anos, desde a década de 1980,  juntou-se  a movimentos estudantis contra a ditadura militar Coreana. Nos últimos 15 anos, o seu foco tem sido as palestras, a facilitação e a pesquisa em áreas como orçamento participativo, autonomia dos moradores e governança, para o progresso da sociedade coreana e promoção da democracia em solidariedade com o mundo através da mudança das comunidades locais.
 
Jaroslaw Olejniczak
Com um PhD em economia, é professor assistente no Departamento de Finanças da Universidade de Economia de Wroclaw. Membro do Senado da Universidade de Economia de Wroclaw e especialista no domínio das finanças públicas, é docente, formador certificado e consultor. Autor de muitas publicações científicas no campo das finanças do governo local e de opiniões especializadas e oficinas de formação para o governo central e administração do governo local. É membro do Instituto Internacional de Finanças Públicas.
 
Jeannette von Wolferdorff
Diretora Executiva do “Observatorio del Gasto Fiscal”, no Chile, iniciativa da sociedade civil para gastos mais transparentes e eficientes, que promove uma responsabilidade pública de acordo com as necessidades do utilizador. É ainda membro do Conselho Presidencial de Modernização do Estado, diretora da Bolsa de Valores de Santiago e presidente do Comité de Governança Corporativa e Sustentabilidade. Promoveu e co-fundou o Índice de Transparência para Partidos Políticos no Chile. Sobre Observatório del Gasto Fiscal | Procura facilitar um maior controle do cidadão sobre os fundos públicos através do uso de dados abertos, trabalhando especialmente com dados de orçamento e dados de compras públicas. Juntamente com o “Chilean Chapter of Transparency International”, o Observatório também promove ativamente um registo de proprietários finais de empresas (“Propriedade Beneficiária”), especialmente para empresas que fazem negócios com o Estado ou que recebem subsídios públicos.
 
Joana Balsemão
Joana Balsemão é vereadora da Câmara Municipal de Cascais, responsável pelas áreas da qualificação ambiental, alterações climáticas, objetivos de desenvolvimento sustentável, cidadania e participação. Foi conselheira técnica na Representação Permanente de Portugal junto da União Europeia, responsável pela negociação de propostas legislativas relacionadas com política ambiental, climática e energética. A experiência anterior inclui: assessora no Ministério do Ambiente, com o pelouro dos dossiês internacionais; Coordenadora do programa Agenda 21 na Câmara Municipal de Cascais; Investigadora pelo Instituto Superior Técnico, na área da educação para as alterações climáticas; Técnica de energia no Conselho Distrital Vale of White no Reino Unido, responsável pelo programa de sensibilização e pela implementação da Estratégia de pobreza energética; Assessora na Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento. Concluiu o Mestrado em “Environmental Change and Management” na Universidade de Oxford.
 
Josh Lerner
Josh Lerner é diretor executivo do The Participatory Budgeting Project, uma organização sem fins lucrativos que capacita comunidades na América do Norte a decidir como gastar dinheiro público. Josh Lerner completou o seu PhD em política na New School for Social Research e um mestrado em planeamento pela University of Toronto. Durante mais de uma década, desenvolveu, pesquisou e trabalhou com dezenas de programas de envolvimento comunitário na América do Norte, América Latina e Europa. É autor do livro Making Democracy Fun: How Game Design Can Empower Citizens and Transform Politics (MIT Press), e os seus artigos foram publicados no The Christian Science Monitor, The National Civic Review, YES! Magazine, Shelterforce e o Journal of Public Deliberation.
 
Juan Pablo Guerrero
Juan Pablo Guerrero é o diretor da Rede da Iniciativa Global sobre Transparência Fiscal (GIFT) desde 2014, uma rede de ação de agentes interessados na promoção da transparência fiscal, participação pública e prestação de contas em países ao redor do mundo. Foi comissário fundador do Instituto Federal de Acesso à Informação e Proteção de Dados no México (2002-2009), onde posteriormente foi secretário-geral (2013-14). Entre 2009 e 2013, foi gerente do programa Mentoring Governments da International Budget Partnership (2009-13). Antes de 2003, foi professor universitário no CIDE (Centro de Pesquisa e Ensino em Economia) no México (1994-2003), especializado em reforma da administração pública para prestação de contas, anticorrupção e transparência fiscal. Iniciou a sua carreira como repórter e correspondente em Washington e Paris, onde estudou programas de mestrado e doutoramento em políticas públicas (SAIS-Johns Hopkins University e Sciences-Po).
 
Kyungmin Lee
Kyungmin Lee trabalha na Unidade de Suporte à Inovação do Governo, como Diretora Adjunta do Ministério do Interior e Segurança da Coreia do Sul. Estudou governança urbana e desenvolvimento regional com foco nas estratégias locais de desenvolvimento participativo da Universidade de Durham, no Reino Unido. Foi formadora de vários cursos sobre Democracia Participativa e Governança ao governo local ao longo dos anos. Uma das suas linhas de atuação está ligada ao processo de transformação do governo através da participação e cooperação dos cidadãos. Atualmente a sua principal tarefa é criar um processo deliberativo participativo on-line que visa lidar com as questões de inovação do governo e as propostas de políticas.
 
Lena Langlet
Vinda de uma formação pedagógica, Lena Langlet tem estado envolvida, nos últimos 25 anos, no desenvolvimento de trabalho de qualidade e projetos dentro do setor público; trabalhando em municípios, no Ministério da Educação e na Associação Sueca de Autoridades Locais e Regiões, SALAR. Nos últimos seis anos, foi responsável pelo extenso projeto participativo da SALAR “In Dialogue with Citizens”. Este projeto chega hoje a 200 dos 290 municípios suecos e a todas as regiões suecas e conselhos municipais. O projeto inclui cooperação com universidades, municípios e empresas nacionais e internacionais. A experiência anterior inclui um cargo de conselheira política do Ministro da Educação e assessora do vice-presidente responsável pela educação e cultura na cidade de Estocolmo. Entre 1999 e 2003, Lena Langlet trabalhou em vários projetos de qualidade dentro da SALAR. Ela também tem trabalhado em projetos de desenvolvimento na cidade de Estocolmo, com monitorização da qualidade e como chefe de diferentes departamentos municipais.
 
Lorena Rivero del Paso
Economista com mestrado em Direito e Economia pela Universidade de Bolonha, Universidade de Hamburgo e Instituto Indira Gandhi de Pesquisa para o Desenvolvimento da Índia, é gestora de colaboração e cooperação técnica na Iniciativa Global para Transparência Fiscal (GIFT - Global Initiative for Fiscal Transparency).  Como especialista em Gestão Financeira Pública trabalhou em Monitorização e avaliação de desempenho do governo, governo aberto e combate à corrupção, desempenhando cargos no governo e como consultora internacional. Durante seu mandato como Diretora Geral de Monitorização de Desempenho no Ministério das Finanças e Crédito Público no México, coordenou o estabelecimento de indicadores não financeiros, monitorização de gastos de governos subnacionais e políticas de transparência fiscal. A sua experiência passa também pela conceção de projetos de planeamento nacional, incluindo questões de género e vinculação do orçamento aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.
 
Mame Aïssatou Mbaye Sy
Geógrafa e urbanista, interessada em questões de governança territorial (transparência, responsabilidade, inclusão), participação cidadã, políticas públicas locais, desenvolvimento sustentável (incluindo a localização dos ODS), tem estado particularmente ligada às abordagens de orçamento participativo e na sua contribuição para uma melhor saúde financeira das autoridades locais e regionais. É natural do Senegal (África Ocidental) e vive em Dakar trabalhando, atualmente, no Enda ECOPOP com o Sr. Bachir Kanouté (Coordenador Executivo), sendo a sua experiência anterior na área de avaliação dos projetos e programas de desenvolvimento da USAID em vários sectores (saúde, educação, economia local, governação, etc.) na sub-região (Níger, Congo, Burkina Faso, Uganda, etc.) e nos Estados Unidos (Washington, Nova Iorque, Ohio-Cleveland).
 
Maria Andrade
Nascida em 2004, Maria Andrade concluiu em 2019 o 9º ano na Escola Secundária Fernando Lopes-Graça e o curso básico de dança da Escola de Dança Ana Magericão, depois de uma experiência na Garfield Elementary School, em Corvallis, Estados Unidos (em 2013). Filha de biólogos (marinhos), desde muito nova se interessa e apoio as visitas guiadas a zonas entre-marés, praias e dunas. Desde 2016 participa em projetos de cidadania da Câmara Municipal de Cascais, como o Orçamento Participativo Jovem, o Orçamento Participativo, o Fórum dos Direitos das Crianças e Jovens, entre outros. Em 2018 foi a vencedora da 1.ª edição do prémio juvenil do concurso literário Fernanda Botelho da Câmara Municipal do Cadaval.
 
María G. Navarro
Professora da Universidade de Salamanca, doutorada em Filosofia, María Navarro tem uma vasta experiência como investigadora. Desenvolve uma linha de pesquisa baseada em diferentes tradições e metodologias das ciências humanas, sociais e jurídicas. Destaca-se como especialista em hermenêutica filosófica, teoria de enredo e análise de discurso político. O seu principal objetivo de investigação é aprofundar os diferentes modelos e culturas democráticas. Desde junho deste ano é responsável pela Presidência do Observatório da Cidade 
 
Martin Sande
Martin Sande é um facilitador sénior que trabalha há 25 anos como consultor, explorando e criando protótipos para enfrentar desafios complexos com foco em diálogo, co-criação e confiança. É um palestrante e formador em conceção e facilitação de diálogo.
 
Nelson Dias
Licenciado em Sociologia e mestre em Planeamento e Avaliação de Processos de Desenvolvimento pelo ISCTE, é consultor do Banco Mundial para a implementação de Orçamentos Participativos em vários municípios e regiões de Moçambique, México e Rússia. Neste momento é também consultor do Governo Português para a implementação do Orçamento Participativo Nacional da Juventude, bem como de diferentes municípios, para implementação do orçamento participativo e processos de planeamento social e territorial. Tem sido consultor de muitos municípios em Portugal para a implementação de processos de Orçamento Participativo.  Foi consultor das Nações Unidas e do Governo de Cabo Verde para a implementação dos Orçamentos Participativos em quatro municípios e do Governo Federal do Brasil para a conceção de uma Estratégia Nacional de Desenvolvimento de Cidades de Média Dimensão. É autor de várias publicações, incluindo a coordenação das duas edições do livro “Esperança Democrática – Orçamentos Participativos no mundo”.
 
Noah Zino
Natural de Carcavelos, é um dos organizadores da Greve Climática Estudantil e está preocupado com o fim da civilização humana como a conhecemos. Vem apresentar o ponto de vista dos milhões de jovens que saíram à rua em protesto pela sua vida.
 
Pilar Montero Vilar
É doutorada em Belas Artes pela Universidade Complutense de Madrid, onde trabalha actualmente como professora e investigadora. Possui um Mestrado em Estética e Teoria da Arte na Universidade Autónoma de Madrid.  Diretora de Sistemas de Gestão da Qualidade (AENOR, 2014)  faz parte do Subcomité de Normalização 41 da Agência Nacional de Normalização AENOR (Subcomité 8 - Conservação, restauração e reabilitação de edifícios). É, também, membro do Conselho Internacional de Museus ICOM e avaliadora da Agência Executiva de Investigação da Comissão Europeia desde fevereiro de 2019 e da Agência Espanhola de Investigação desde 2017. Desde 2014 é coordenadora do Plano de Proteção de Coleções de Emergência do Museu do Centro Nacional de Arte Reina Sofia (Plano PROCOERS) e, em 2018, foi nomeada assessora do Ministério da Cultura e do Desporto espanhol no Grupo de Trabalho para a implementação dos Planos de Salvaguarda dos Bens Culturais nas Instituições Culturais. Em 2019 foi escolhida por sorteio como membro do Observatório da Cidade de Madrid.
 
Stefano Stortone
Ativista cívico, investigador em política e empreendedor social, tem por objetivo principal aprofundar a democracia, reformulando-a. Para isso,  fundou a BiPart (www.bipart.it), uma empresa start-up que visa estudar, promover, projetar e implementar processos democráticos inovadores em todos os tipos de comunidades, aproveitando as TICs e fortalecendo as relações sociais. Tem um mestrado (2005) e um PhD (2010) em Política pela Universidade Católica de Milão e um mestrado em Estudos Democráticos pela Leeds University (2010). De 2013 a 2018, foi investigador de pós-doutorado no Laboratório de Informática Cívica (LIC) da Universidade de Milão, trabalhando para o projeto EMPATIA
 
Stephanie McNulty
Professora Associada de Administração Pública no Franklin and Marshall College, é uma latino-americanista com experiência em governança participativa, género, descentralização e desenvolvimento. O seu trabalho foi publicado na Latin American Politics and Society, no Journal of Development Studies, no Journal of Public Deliberation, entre outras revistas académicas. É autora de "Voice and Vote: Decentralization and Participation in Post-Fujimori Peru" (Stanford University Press, 2011), que explora a origem e a implementação de uma reforma peruana de descentralização, considerada uma das mais participativas da América Latina. Tem um Ph.D. em ciência política pela George Washington University e mestrado em ciência política pela New York University.
 
Tiago Fernandes
Tiago Fernandes é professor auxiliar e diretor do Departamento de Estudos Políticos da Universidade Nova de Lisboa e coordenador do projeto Variedades de democracia na Europa do Sul, financiado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos.  Doutorado em Ciências Sociais e Políticas pelo Instituto Universitário Europeu de Florença, foi também investigador visitante das universidades de Princeton e Notre Dame (Kellogg Institute for International Studies).  Os seus livros mais recentes são (em coautoria) Late Neoliberalism and its Discontents: Comparing Crises and Movements in the European Periphery (Palgrave, 2016) e Memories and Movements. The Legacy of Democratic Transitions in Contemporary Anti-Austerity Protest (Oxford, 2018) e, como coeditor, o número especial Civil Society, Democracy, and Inequality: Cross-Regional Comparisons (1970s-2015), Comparative Politics (2017).  Recebeu os prémios para a internacionalização das ciências sociais (Fundação Calouste Gulbenkian) e para a melhor tese de doutoramento (Associação Portuguesa de Ciência Política).
 
Tomáš Rákos
Tomas Rakos é especialista em participação pública e envolvimento comunitário, tendo já trabalhado em mais de 200 projetos em países como EUA, Reino Unido, França, Tunísia, Colômbia, Índia, Zâmbia e República Checa. As áreas-chave do seu trabalho incluem design de participação, mapeamento e envolvimento dos vários atores, estratégias de participação de jovens, consultoria de tecnologia cívica, orçamento participativo, planeamento urbano participativo, recolha e análise de dados quantitativos e qualitativos, gestão de projetos e organizações, planeamento estratégico para comunidades de vários tamanhos, e capacitação. Liderou uma equipa que nos últimos quatro anos implementou a solução de votação digital para o processo de Orçamento Participativo da NYCC (PB). Atualmente, está focado em trazer princípios participativos para os processos de planeamento urbano inteligente. Participa frequentemente em conferências e atua como formador de atores políticos (presidentes de câmara e vereadores, …), autoridades municipais, implementadores de metodologias de participação, instituições governamentais, urbanistas, media e trabalhadores de ONGs. Ele é um dos fundadores da Fábrica de Participação.

Cascais Digital

banner_cascais_0banner_cascaisambiente_0banner_cascaisparticipa_0banner_cascaisjovem_0banner_cascalitosbanner_lojacascaisccbanner_geocascaisbanner_agendacascaisbanner_fixcascais