CONTACTOS
Fale connosco
800 203 186
Em rede

Está aqui

Mais de 600 pessoas formaram Laço Azul Humano na Baía de Cascais contra os maus tratos

Mais de 600 pessoas participaram esta tarde na formação de um Laço Azul Humano contra os maus-tratos sobre crianças e jovens. No âmbito da campanha “Apenas o coração pode bater”, a iniciativa conjunta das Comissões de Proteção de Crianças e Jovens de Cascais, Oeiras, Sintra e Amadora, com o apoio da Câmara Municipal de Cascais, visou alertar a população para este flagelo e para a importância de o prevenir.
Em plena Baía de Cascais, o Laço Azul contou com a participação da cantora Mia Rose, Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal, centenas de alunos das escolas do concelho, representantes de diversas instituições, agentes da PSP e GNR e muitos transeuntes que se juntaram a esta causa.
 
“Esta iniciativa tem um significado muito especial”, explicou  Mia Rose, embaixadora desta causa para Cascais: “acredito muito no futuro das nossas crianças, eles admiram as pessoas mais velhas e nós temos de dar o exemplo.” 
 
Formar um Laço Azul Humano, “é uma forma de tornar visível o problema dos maus-tratos sobre crianças e jovens, algo que as pessoas já têm consciência que existe, mas não sabem como lidar”, explica Célia Rebelo, presidente da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Cascais. Para a responsável, “é importante falar no tema e avaliar, de forma preventiva, os resultados de campanhas de sensibilização, de trabalho, de competências parentais e de parentalidade positiva. Uma criança que ouve falar de maus-tratos pode chegar à escola e, perante situações de maus-tratos, dizer que não está bem”.
 
Para Frederico Pinho de Almeida, vereador da Ação Social na Câmara Municipal de Cascais, este foi um “momento muito simbólico e pedagógico que pretendeu sensibilizar toda a comunidade através dos jovens”.  Reconhecendo que “continua a registar-se aumento de violência e maus-tratos junto das crianças e jovens”, Frederico Pinho de Almeida, reconheceu o esforço conjunto “da comunidade, incluindo a Câmara Municipal, Comissão de Proteção de Crianças e Jovens e parceiros que atuam nesta área social e educativa para evitar que este flagelo continue a progredir”.  
 
A iniciativa serviu também para a entrega dos prémios do concurso para o Cartaz de sensibilização para a prevenção dos maus-tratos aos alunos dos Agrupamentos de Escolas Cidadela (1º e 2º prémio) e Cascais (3º prémio). Dinamizado no âmbito da campanha “Apenas o coração pode bater”, o concurso contou com o apoio do Grupo Auchan e da Zippy.
 
Vencedores:
1º Lugar – Kelly Eduarda Shumann da Silva – Agrupamento de Escolas da Cidadela, aluna do 2º ano do Curso Técnico de Multimédia
2º Lugar – Melanie Marques de Sousa Anjos Marques – Agrupamento de Escolas da Cidadela, aluna do 2º ano do Curso Técnico de Multimédia
3º Lugar – Luiza de Barros Martiruz – Agrupamento de Escolas de Cascais, aluna do 12º ano
 
A tarde ficou marcada pela atuação musical do Grupo Coral do Centro Social Paroquial de S. D. Rana que interpretou a canção “Apenas o coração pode bater”, criada por Rui Baptista (letra e música) no âmbito da Campanha – Laço Azul 2015.
 
Atuaram ainda o Coral Infantil de Carcavelos e os Pequenos Cantores de Carcavelos, o Grupo Coral e Instrumental da Junta de Freguesia Cascais / Estoril e o Grupo Bloco Afro Nação, formado por crianças de várias idades das Escolas Básicas Abóboda 1 e Trajouce, numa parceria entre a Santa Casa da Misericórdia de Cascais e o Agrupamento Frei Gonçalo Azevedo.
 
Em Cascais, em 2014, a CPCJ acompanhou mais de um milhar de casos de maus-tratos contra crianças e jovens, número que a presente campanha de sensibilização pretende ajudar diminuir.
 

Sugerimos também

Cascais Digital

360_146x65mobi_146x65loja_146x65geo_146x65ambiente_146x65-01cultura_146x65jovem_146x65participa_146x65fix_146x65my_146x65