CONTACTOS
Fale connosco
800 203 186
Em rede

FAQ

Eliminar Filtros

Está aqui

Empregabilidade inclusiva

10 questões
  • 01. O que posso esperar do vosso serviço?
    • - Um atendimento personalizado e confidencial;

      - Informação atualizada sobre apoios e respostas existentes;

      - Uma adaptação conforme as suas necessidades para permitir a participação nos nossos Programas, Serviços e Formações. Os Programas de Empregabilidade têm uma quota para participantes com necessidades específicas. (todas as fichas de inscrição possuem um campo para assinalar a existência de condições específicas);

      - Uma intervenção respeitosa das suas vontades e decisões e feita ‘à sua medida’.

       

  • 02. Conseguem arranjar-me emprego?
    • A nossa principal função é apoiar as pessoas para que consigam integrar, manter ou mudar a sua atividade no mercado de trabalho atual.

      A proposta que fazemos é a de trabalhar o autoconhecimento, as ferramentas de procura ativa de emprego e as competências de empregabilidade, assente numa ideia de desenvolvimento do percurso profissional, da sua autonomia e da aprendizagem ao longo da vida.

      Procuramos que quem nos procura tenha maiores recursos e escolhas – quer sejam formativas, de trabalho (em horário parcial ou integral) e/ou de experiências de ativação e aprendizagem na comunidade.

      Se pretender consultar e candidatar-se às ofertas de trabalho poderá encontrar mais informação nos Gabinetes de Inserção Profissional (GIP) (ver doc) e em IEFP online (link)

       

  • 03. Nunca trabalhei e não sei do que gosto e o que posso fazer. Por onde posso começar
    • Pode começar por marcar uma Consultoria de Percurso Profissional na Cidade das Profissões de Cascais. (AQUI)

      Começamos por identificar consigo as suas competências e interesses na sua situação de partida, os seus sonhos e a sua condição específica. Propomos :

      - Uma cooperação integrada com o(s) seu(s) familiar(es) mais direto(s) e técnicos de referência que já o acompanhem;

      - O reforço da ligação a estruturas da sua comunidade; 

      - O trabalho com as empresas e os seus tutores dando apoio às eventuais dificuldades numa lógica de trabalho útil e responsável, garantindo em simultâneo que tem as adaptações de que precisa.

      Se for munícipe e tiver entre 14 a 30 anos, pode agendar um atendimento (gratuito) no Gabinete de Orientação Vocacional e Profissional  (+ info).

       

  • 04. Sou munícipe, preciso de apoio psicoterapêutico mas não tenho apoio dos serviços de saúde públicos ou privados. O que posso fazer?
    • Se tiver mais de 30 anos inscreva-se em consultoria de percurso profissional (link) para ser encaminhado para um Programa de Apoios Psicoterapêuticos, através do qual se disponibiliza esse tipo de apoio a preços sociais ou com um conjunto de sessões gratuitas, conforme a sua situação sócio-económica.

      Se tiver entre 10-30 anos, o Espaço S – Saúde, Sexualidade, Sentimentos e Saberes - disponibiliza um serviço gratuito de consultas de várias áreas (+ info).

       

  • 05. O meu familiar terminou o seu percurso escolar, o que pode fazer para não ficar parado em casa?
    •  Na área do emprego:

      - Deve inscrever-se no Centro de Emprego e procurar saber quais os apoios específicos para a sua condição.

      - Recomendamos que peça a Avaliação e Orientação para a Qualificação e Emprego (IAOQE), em articulação com o Centro de Recursos da CERCICA, se for munícipe de Cascais. (ver documento)

      - No site da Câmara Muncipal de Cascais, consulte a área dedicada à empregabilidade (ver área)

       Outras ocupações:

      - Diversificar as atividades diárias através de atividades de voluntariado - consultar as oportunidades de voluntariado municipal na Jovem Cascais (link) e Banco Local de Voluntariado (link).

      - Manter atividades regulares que promovam o seu bem-estar, adequado às suas condições e gostos, participando em atividades da comunidade – na área do Desporto (link) e na Saúde (link).

       

       

  • 06. Será possível encontrar algo apenas para o meu familiar ocupar o tempo?
    • O nosso foco de trabalho não é encontrar atividades meramente ocupacionais.

      Procuramos que cada experiência em contexto real de trabalho resulte da vontade da própria pessoa, das suas possibilidades de realizar essas funções, e também das possibilidades concretas de conseguir essa experiência numa entidade que assegure as condições necessárias.

      Se quer ajudar o seu familiar a ativar-se pode começar por o informar da possibilidade de marcar uma Consultoria de Percurso Profissional (link).

       

  • 07. Sou familiar/cuidador/a de uma pessoa com deficiência e/ou doença mental e gostava de saber que respostas existem?
    • Na Cidade das Profissões de Cascais pode encontrar informação e acompanhamento individual e familiar da empregabilidade do seu familiar.

      Existe um Projeto específico, o Tempo das Famílias que procura criar um espaço de partilha, de reflexão e de alargamento da rede de suporte para as famílias.

      Se é cuidador informal, conheça o Estatuto do Cuidador Informal através do Guia Prático da Segurança Social (ver doc), Guia dos Cuidadores (ver doc) e o Programa Cascais Cuida (+info)

       

  • 08. O que é o Atestado Multiusos de Incapacidade?
    • O Atestado Multiusos de Incapacidade consiste num documento oficial, emitido após avaliação na Junta Médica, que indica e comprova o grau de incapacidade de uma pessoa, expresso numa percentagem.

      Este atestado permite usufuir de certos benefícios sociais, fiscais, ente outros.

      O circuito para a sua obtenção começa pelo serviço de Saúde Pública, da Unidade de Saúde de S. João do Estoril para os munícipes de Cascais. (+ info)

      Deverá juntar previamente o maior e mais diversificado número de relatórios que façam prova da sua condição específica.

       

  • 09. O que é o Estatuto do Maior Acompanhado?
    • O regime do “maior acompanhado” destina-se às pessoas que, por diversas razões,  se encontrem impossibilitadas de exercer conscientemente os seus direitos ou de cumprir os seus deveres e que possam requerer junto do Tribunal as necessárias medidas de acompanhamento. Permite ainda que possam escolher por quem querem ser acompanhados (pessoa ou pessoas incumbidas de a ajudar ou representar na tomada de decisões de natureza pessoal ou patrimonial).

      O seu objetivo é preservar a autonomia de que a pessoa ainda dispõe e, dentro do possível, aumentá-la. Nesse sentido, o tribunal, depois de analisar todos os elementos que foram levados ao processo e com o auxílio de informação médica, decide os atos que a pessoa – o acompanhado – pode e deve continuar a praticar livremente e aqueles que, para sua proteção, devem ser praticados por ou com o auxílio de outra pessoa – o acompanhante.

      Trata-se de um novo regime jurídico, que tem necessariamente de ser decidido por um juiz, e que vai substituir as antigas interdições e inabilitações.

      Mais informações: AQUI

      Minuta: AQUI 

       

  • 10. O que é o Planeamento Centrado Na Pessoa?
    • É uma metodologia que tem um conjunto de abordagens de planeamento que se focam no indivíduo, nas suas necessidades, talentos e interesses, tendo em mente o reconhecimento da importância dos suportes formais e informais.

      Esta abordagem tem como prioridade a autodeterminação e relação num modelo de apoio individual, one to one, com o objetivo de também ajudar a mudar o ambiente e as atitudes comunitárias: famílias, grupo de pares, tutores em posto de trabalho, empresas e outros intervenientes.

      Neste trabalho procuramos ativar a colaboração entre familiares, técnicos já envolvidos e as entidades de especialidade de cada condição específica, entre outras mantendo o protagonismo e a autonomia de decisão da pessoa com condição específica.

       

Menu

FAQ

Cascais Digital

my_146x65loja_146x65_0geo_146x65_0fix_146x65360_146x65_0my_146x65loja_146x65_0geo_146x65_0fix_146x65360_146x65_0